quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Saudades do Cine Palace - 12


Enviado ao YouTube por  em 28/04/2010
Trailer de cinema do filme: "Dr. Zhivago" (1965).

A grande tela cinemascope do Cine Palace “cabia bem” um épico como DOUTOR JIVAGO (Doctor Zhivago), 1965, Direção de David Lean, com Omar Sharif, Julie Christie e Geraldine Chaplin, vencedor de 5 Oscars, com 3 horas e 21 minutos de duração, filme de grande sucesso, com a famosa composição de Maurice Jarre, Tema de Lara na sua trilha sonora. Os épicos daquela época eram filmes longos, alguns tinham até quatro horas de projeção, e continham abertura, ou seja, após o Cine Jornal (traillers não eram exibidos por motivo do filme principal ser muito longo), e o Certificado de Censura, as luzes da sala eram acesas, a imagem na tela escurecia, começando-se a ouvir a trilha sonora do filme. Quando a mesma acabava, voltava a imagem a aparecer, com a vinheta da companhia cinematográfica, no caso a Metro Golden Mayer e aí sim, começava o letreiro, o filme propriamente dito. Todo preparativo para o espectador entrar no clima. No meio do filme, outra interrupção, a imagem escurecia, aparecia na tela: INTERVALO. Começava-se a ouvir novamente a trilha sonora quando eram acesas as luzes da sala, o que durava cerca de dez minutos. No caso do DR. JIVAGO, o intervalo acontecia na cena em que o trem entra em um túnel, e tudo fica escuro. Volta-se ao filme quando o espectador começa a ouvir o barulho do trem, a tela começa a clarear e aparece o trem saindo do túnel, encerrando-se assim o intervalo. Era um tempo em que se apreciava a sétima arte sem pressa. Não era a um simples filme que se assistia, mas a um espetáculo. Um espetáculo cinematográfico...

Armando Maynard

2 comentários:

  1. Não conheci o cine Palace, caro Maynard, infelizmente, porque somente fui a Aracaju três vezes: uma, em 1976, para um festival de cinema organizado por Djaldino Motta Moreno, outra para passar um fim de semana com uma namorada, e outra em excursão colegial. Mas, pelo rigor, de sua 'função', assemelhava-se a outros cinemas que existiam aqui na velha Bahia. Impressionate como você se recorda dos mínimos detalhes: das luzes que diminuem de intensidade, dos intervalos das grandes produções, da sequência em que eram apresentados os complementos e trailers. Uma conclusão se faz indiscutível: você é um imenso cinéfilo. Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba Setaro! Um elogio seu é muito bom... Muito obrigado pela atenção e um abraço, Armando.

      Excluir